TJ/ES nega pagamento de seguro a condutor que se envolveu em acidente alcoolizado

A Justiça do Espírito Santo negou o recurso de um condutor, que recorreu em um processo para receber o valor do seguro do seu veículo, que teve perda total, durante uma batida na BR 262 em Viana.

O valor também seria para cobrir o conserto de dois outros veículos, atingidos, que estavam parados em um semáforo na rodovia.

O autor da ação disse que estava cansado e teria cochilado ao volante e que não estaria alcoolizado, mas desorientado pelo acidente. No entanto, de acordo com o processo, quando a polícia constatou que ele apresentava sinais de embriaguez.

Ainda segundo os autos, o motorista teria se recusado a se submeter ao teste do bafômetro, o que poderia ter sido feito sem nenhum prejuízo, pois saiu ileso do acidente.

Segundo o Desembargador Fernando Estevam Bravin Ruy, Relator do processo na 2ª Instância, a demonstração de embriaguez como causa determinante para a ocorrência do acidente exclui a seguradora de indenizar o segurado.

“Ficou comprovado que a perda da cobertura securitária e da correspondente indenização deveu-se à conduta direta do segurado, que optou por fazer uso da mistura rotineiramente criticada da ingestão de álcool com a direção, o que contribuiu, de forma efetiva e determinante, para o agravamento do risco e a consequente realização do sinistro. Isto porque, ficaram provadas que as condições climáticas eram favoráveis, com asfalto seco e boa visibilidade”, concluiu o Relator.

Direto da redação
Record News / Rede SIM
Com informações do TJ/ES