Taxista acusado de matar a companheira em Cariacica é condenado a 33 anos

O Tribunal do Júri de Cariacica, por maioria de votos, condenou a 33 anos de reclusão o taxista acusado de matar a companheira a facadas na frente da filha. O júri afirmou que o crime foi cometido por feminicídio, fruto de violência doméstica, na frente da filha do casal, que na época era menor de idade.

Segundo o Ministério Público, o assassinato foi praticado no dia 23 de setembro de 2015, no interior da residência da vítima, no Bairro de Vila Capixaba, em Cariacica.

A Juíza do caso afirmou que crimes dessa natureza, merecem ser efetivamente combatidos: “Realmente, a ação do acusado é desprovida de qualquer suporte ético ou moral. Assim, as circunstâncias fáticas realmente exigem um agravamento severo na aplicação da pena base. As consequências extra-penais são registradas nos autos, no sentido de que a vítima teria deixado uma filha menor sem o amor materno, formação e sustento. O comportamento da vítima não se presta a justificar a conduta do acusado”.

Direto da Redação, com informações do TJ/ES