Produtores de Ecoporanga desenvolvem técnica para aumentar a produção de leite

O período de escassez de alimentos para o gado, especialmente em épocas de seca, tem causado prejuízos para os agricultores das pequenas e médias propriedades em todo o Espírito Santo, com a diminuição da produção de leite. Mas uma a técnica simples e de baixo custo, denominada “Silo Cincho”, tem trazido transformações positivas para as famílias rurais de Ecoporanga, no Norte do Estado.

Pela falta de alimentos nos períodos mais críticos, o produtor se depara com a perda de peso dos animais, a diminuição da fertilidade, o enfraquecimento geral do rebanho e até mesmo a morte. Diante deste cenário, a pouco menos de dois anos, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), por meio do escritório local (EDLR) de Ecoporanga, têm acompanhado produtores de leite de pequenas e médias propriedades a técnica da ensilagem, ou Silo Cincho.

A tecnologia de origem italiana, carrega um tipo de silo –  construções para o armazenamento e conservação de forragens –  com baixo custo de produção e conserva forragens volumosas preparando a alimentação dos animais do campo nos períodos de seca.

O método é indicado para criadores com poucos animais, que desejam, ou têm a necessidade de armazenar a produção de massa de suas capineiras, ou pequenas lavouras de milho, sorgo, milheto, rama de mandioca, camerom e cana-de-açúcar.

Com o incentivo do Incaper, a família adotou a silagem. Pai e filho preparam o silo com Cameron, cana-de-açúcar e futuramente mandioca. Já são mais de 15 toneladas de comida, desde janeiro deste ano, que são ensiladas geralmente a cada 70 dias, dependendo do ponto de colheita do Cameron (1,70m). Já são mais de 35 toneladas de silagem armazenada.

No Córrego Oswaldo Cruz, em Ecoporanga, o produtor de leite, Elis Pegoretti, fala que já teve avanços com a aplicação da técnica no seu rebanho. “Antes de usarmos o armazenamento de volumoso na nossa propriedade, a média de produção de leite das vacas era cerca de 3 a 5 litros e, aproximadamente, 50 litros de leite por dia e hoje em dia são em média 8 a 10 litros por animal, com os animais consumindo somente volumoso. A nossa renda aumentou cerca de 40% por mês”, contou Elis.

Por lá, a produção mínima de leite chega a cerca de 80 a 90 litros por dia, nos períodos de produção mínima e, quando chega a sua máxima, são cerca de 140 a 160 litros recolhidos.

Direto da redação
Record News / Rede SIM
Com informações do Incaper