Ponte no Rio Pequeno em Linhares terá tráfego em pare e siga nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira (6) a ponte do Rio Pequeno vai funcionar em sistema de Pare e Siga das 9 ás 13 horas. A informação foi confirmada pela Fundação Renova na manhã de hoje (5).
A medida é necessária para a abertura do canal comunicante do Rio Pequeno para o Rio Doce, que tem como objetivo escoar a água da chuva acumulada na lagoa Juparanã.
Para garantir a segurança dos usuários do trecho, agentes de trânsito da Guarda Civil Municipal irão orientar os pedestres, ciclistas, motoristas e cidadãos que utilizam a ponte diariamente. O bloqueio em pare e siga da ponte acontece após autorização do Departamento de Estradas de Rodagem do Espírito Santo (DER-ES).
Durante o período de execução da obra, das 9 ás 13 horas, as famílias serão levadas para a Reserva Natural da Vale para atividades de recreação e entretenimento.
A previsão é que elas retornem aos imóveis às 15 horas. De acordo com o secretário municipal de Defesa Social e Segurança Pública, Coronel Jones Mattos, guardas civis municipais também irão garantir a segurança dos imóveis das 41 famílias, cerca de 150 pessoas, que terão que deixar as suas casas no período em que a abertura do canal estiver ocorrendo.
O Coronel alerta, ainda, que não será permitida em hipótese alguma nenhum cidadão em cima da ponte no momento de execução da obra. “É uma medida que visa garantir a segurança da população e da população que reside às margens e nas imediações do rio”, pontua. Além da secretaria de Segurança, as secretarias de Assistência Social e Meio Ambiente também acompanham todos os procedimentos técnicos adotados pela Fundação Renova durante a execução da obra.
A abertura de um canal comunicante do Rio Pequeno para o Rio Doce, na ombreira (lateral) do barramento, permitirá a regularização do nível do Rio Pequeno e da Lagoa Juparanã num período de 30 a 45 dias. Com o canal, será possível escoar a água da chuva acumulada na lagoa Juparanã, que causou o aumento  no seu nível e o alagamento do seu entorno. A Fundação Renova trabalha no local desde o dia 15 de março.