Polícias Civis e Militares prendem 12 pessoas no Bairro da Penha, em Vitória

Policias civis e militares realizaram uma grande operação para desmantelar uma facção criminosa que atuava no Bairro da Penha, em Vitória, nesta terça-feira (1º).

O balanço final da Operação Balder (Deus nórdico da justiça e sabedoria) foi apresentado à imprensa pelo secretário de Estado da Segurança Pública, André Garcia, pelo delegado responsável pela operação, delegado Marcus Vinicius, titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida de Vitória e o tenente coronel Augusto Piccoli, comandante do 1º Batalhão da PM, de Vitória, na sede da Sesp.

Doze criminosos foram presos na operação, cinco por força de mandado de prisão e outros sete em flagrante. Entre eles estão: o número dois do comando do tráfico na comunidade e a esposa; a mulher do líder do braço criminoso; e um dos dez criminosos mais procurados do Estado.

Durante a operação, que contou com a Companhia Especializada em Operações com Cães, foram apreendidos 770 buchas de maconha e um tablete de 30 cm da droga, 187 pinos de cocaína, 158 pedras de crack, oito bolas de haxixe, uma pistola calibre 45 e R$ 10.460.

“Desarticular grupos criminosos como esse, que atuam em comunidades e atrapalham a vida de pessoas de bem, é uma missão diária dos nossos policiais. São os policiais que estão nas ruas todos os dias combatendo, para que armas como essas, de grande impacto, e as drogas não entrem nos lares de todos os cidadãos e atrasem nossa sociedade.”, destacou o secretário André Garcia.

Ele ressaltou a integração entre as polícias como uma das ferramentas mais essenciais para o combate à criminalidade. “O trabalho de inteligência desde o planejamento até a execução das prisões e apreensões mostram a importância dessa integração entre as polícias”, completou o secretário.

O delegado Marcus Vinicius revelou que o trabalho de inteligência continua para chegar aos outros criminosos, foragidos da polícia. “Cumprimos 16 mandados de prisão na comunidade para desarticular quadrilhas responsáveis por crimes como homicídio, tráfico e roubos. Foi encontrado um laboratório no local e o desmontamos. Também temos informações sobre outros laboratórios e vamos atuar para acabar com todos eles e prender o restante dos integrantes dessa organização”, explicou o delegado.

Tenente coronel Augusto Piccoli também destacou a integração entre as polícias e o prejuízo que os criminosos tiveram. “A primeira fala a se destacar é o serviço de integração entre as instituições de Estado: PM e PC. Não conseguiríamos obter êxito nesse tipo de levantamento se não fosse a ligação forte entre PM e PC. A segunda coisa a destacar foi a preocupação com o cidadão de bem que habita na região. Foram três semanas de levantamento e planejamento do serviço de inteligência para que não fosse realizado nenhum disparo nessa operação”, completou.

Com informações da Sesp/ES