Morador de rua que matou empresária com vergalhão pode ser condenado a 66 anos de prisão

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Homicídio Contra a Mulher, concluiu o inquérito que investigava a morte da empresária Simone Venturini Tonani, de 43 anos. Ela morreu após ser atingida na cabeça por um vergalhão, arremessado por um morador de rua, em Vila Velha, no dia 4 de maio. O filho da empresária, de oito anos, estava com ela no carro e presenciou tudo.

Câmeras de videomonitoramento da região flagraram o momento do crime. Nas imagens é possível ver o acusado retirando a barra de ferro de um local em obras e atirando contra a mulher, que estava dentro do carro, com as janelas abertas.

De acordo com as informações da polícia, o acusado do crime, Felipe Rodrigues Gonçalves, é usuário de drogas e tinha passagens pela polícia por danos, furto e lesão corporal. Em depoimento, ele confessou que jogou a barra de ferro contra Simone pois ouviu uma criança o chamando de “veado”.

O acusado foi indiciado por homicídio triplamente qualificado motivo fútil, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima). Somadas, as penas máximas dos crimes podem chegar a 66 anos de prisão.

 

 

 

Direto da Redação, com informações da Polícia Civil e Rodrigo Schereder
Record News ES / Rede SIM