Manifestantes despejam peixes mortos nas escadarias do Palácio Anchieta

Moradores da região da Barra do Jucu em Vila Velha e ambientalistas revoltados com a mortandade de peixes no Rio Jucu, realizaram um protesto na manhã desta quinta-feira (27) na escadaria do Palácio Anchieta, sede do Governo do Espírito Santo. Eles jogaram peixes mortos em frente ao local.

O ato aconteceu por causa da morte de mais de 10 toneladas de peixes que apareceram na foz do rio, em Vila Velha.

Os moradores dizem que as mortes começaram no sábado (22) e que o problema é causado pelo baixo volume de água e oxigênio do rio. Nesta quarta-feira (26), uma escavadeira começou a retirar a areia que impedia o encontro do rio com o mar. Os peixes mortos também começaram a ser retirados.

Analistas do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema), da Agência Estadual de Recursos Hídricos e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Vila Velha estiveram no local para fazer testes e avaliar as possíveis causas de morte dos peixes.

Algumas pessoas disseram que receberam a informação de que serão multadas por jogarem peixe podre no palácio. Ninguém foi preso e o ato foi pacífico.

O ambientalista Eduardo Pignaton disse que os peixes estraram para fazer a piracema e estão em fase de reprodução.
O pesquisador também disse que será preciso esperar o rio melhorar, para que outra geração entre para desovar.

O coordenador de Recursos Naturais da Prefeitura de Vila Velha, Luiz Carlos Ricarto, disse que o objetivo da abertura da foz é possibilitar a oxigenação e viabilizar a passagem das embarcações dos pescadores.

Direto da redação
Record News Espírito Santo/Rede SIM Sat