Mais de 900 caranguejos capturados de forma ilegal são devolvidos ao manguezal em Aracruz

Os mais de 900 caranguejos da espécie Uçá, capturados de forma ilegal durante o último período de andada, foram devolvidos ao manguezal Piraquê-açu esta semana, em Aracruz. A apreensão aconteceu entre os dias 02 e 05 de fevereiro, durante um patrulhamento realizado pela equipe de Fiscalização Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam).

O flagrante aconteceu em diversas regiões de manguezal do município, na época em que a captura, o transporte e o armazenamento do caranguejo-uçá estavam proibidos. Tratava-se do período reprodutivo do crustáceo, quando machos e fêmeas saem de suas galerias para acasalamento e liberação de ovos.

De acordo com a equipe de fiscalização, a captura estava sendo realizada por catadores do município e também de outras localidades. As pessoas, no entanto, não foram detidas, já que a portaria que determina os períodos de reprodução do crustáceo no município de Aracruz, em complementação à Lei Estadual, foi publicada no dia 02/02.

“Trata-se de uma portaria excepcional, na qual decidimos priorizar a fiscalização nos manguezais e o controle da captura do caranguejo em seu período de reprodução, tendo liberado a comercialização, já que alguns catadores já haviam explorado o caranguejo antes do período de andada”, explicou a gerente de Fiscalização Ambiental da Semam, Ana Clara Paz Otegui.

Períodos de defeso

De acordo com a portaria Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA), ainda no ano de 2018, irão acontecer mais dois períodos onde é proibido a captura, a manutenção em cativeiro, o transporte, o beneficiamento, a industrialização, o armazenamento e a comercialização do caranguejo-uçá. Os períodos de defeso acontecem entre 17 e 24 de fevereiro, e depois nos dias 19 a 26 de março.

Durante os períodos de andada ou defeso, a equipe de Fiscalização Ambiental da Secretaria Municipal de Meio ambiente realiza rondas em diversos pontos de manguezal no município de Aracruz. A patrulha é feita por terra e também de barco, quando os fiscais navegam pelo Piraquê-Açu em busca de irregularidades.

É uma forma de conter a coleta predatória que, para a Semam, ameaça a sustentabilidade do ecossistema, além de contribuir na proteção das espécies de caranguejo. “A Secretaria de Meio Ambiente se compromete a fiscalizar e preservar os manguezais que, além de constituírem uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável Municipal, são importantes para diversas famílias que dependem desse ambiente para o seu sustento”, disse Ana Clara Paz Otegui.

Quem flagrar práticas ilegais em manguezais ou em outras áreas de preservação pode entrar em contato com a equipe de Fiscalização Ambiental. Os telefones para denúncias são 9 9771-4462 e 3270-7065.

Fonte: Prefeitura de Aracruz