Mais de 30 mil peças de roupas falsificadas são apreendidas durante ação contra pirataria na Grande Vitória

Dois shoppings e dez lojas foram fechados durante a “Operação Natal” realizada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defraudações e Falsificações (Defa) e da Delegacia de Segurança Patrimonial (DSP). Mais de 30 mil peças de roupas falsificadas foram apreendidas nos estabelecimentos.

O resultado da operação foi apresentado nessa terça-feira (26), durante uma coletiva de imprensa na sede da Divisão de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio (DRCCP), em Vitória.

Segundo a delegada responsável, Rhaiana Brememkamp, as ações tiveram início no último dia 05 e foram divididas em quatro etapas. “Essa operação foi desencadeada após denúncias de representantes de marcas nacionais e internacionais informando que havia um grande mercado paralelo de materiais falsificados sendo vendidos em lojas na Grande Vitória. As peças apreendidas estavam sendo vendidas bem abaixo do preço de mercado”, informou.

A primeira etapa foi realizada na Avenida Expedito Garcia, em Campo Grande, Cariacica, e na Avenida Central, em Laranjeiras, na Serra, onde os policiais apreenderam mais de mil peças de roupas, avaliadas em R$ 5 milhões. Seis lojas de roupas foram fechadas e cinco pessoas foram conduzidas a prestar esclarecimentos.

A segunda fase foi realizada no polo comercial de Porto Canoa, na Serra, e a seguinte, em Feu Rosa, também na Serra. A quarta etapa foi feita no Bairro Ibes, em Vila Velha, onde os policiais fecharam dois shoppings e apreenderam camisas, bermudas, calças, tênis, óculos e relógios. Nove proprietários de lojas foram conduzidos para a Delegacia.

De acordo com a delegada, os conduzidos assinaram um Termo Circunstanciado por crime contra marca e por concorrência desleal. “Eles responderão ao processo em liberdade, mas ainda estão sendo investigados por outros crimes. Esse tipo de comércio não gera prejuízos apenas para o empresário. Tênis sem amortecedores podem causar lesões, assim como os óculos de sol sem proteção solar que estavam sendo comercializados”, completou.

 A delegada disse ainda que todo o material apreendido será incinerado. “Quem tiver mais informações sobre locais onde estão sendo comercializados produtos falsificados deve denunciar por meio do Disque-Denúncia-181, pois toda informação será investigada”, pediu Rhaiana.