Laudo da Polícia Civil afirma que carta escrita por médica assassinada é autêntica

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Homicídio Contra a Mulher, informa que os resultados do laudo grafotécnico, expedido pelo departamento de criminalística, confirmam que a médica Milena Gottardi Tonini Frasson confeccionou e assinou a carta datada no dia 05 de abril.

Para obter os resultados, o departamento fez o confronto dos padrões da carta com as fichas assinadas pela vítima no cartório, onde realizou o registro do documento, no mesmo dia em que ele foi escrito – e, também, com as anotações escritas em um caderno que foi apresentado pela família da médica.

Na carta, a médica revelou o medo que tinha de morrer e contou detalhes sobre o comportamento agressivo do ex-marido, o investigador de polícia civil Hilário Antônio Fiorot Frasson.

De acordo com a Polícia, o caso segue sob investigação e outras informações serão divulgados quando o inquérito for concluído, com prazo de 30 dias, contados a partir da prisão do Dionathas, podendo prorrogar para mais 30.

Direto da redação
Com informações da Polícia Civil