Hospital Padre Máximo em Venda Nova do Imigrante vai receber R$ 2,5 milhões para reforma e ampliação

O Hospital Padre Máximo em Venda Nova do Imigrante, na região Serrana do Estado, receberá R$ 2,5 milhões do Governo do Estado para realizar reforma e ampliação de sua área física.

A obra vai contemplar a expansão da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde serão instalados dez novos leitos, aumentando de 60 para 70 o número total de leitos do hospital. O recurso será repassado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) por meio de um termo de fomento, que foi assinado nesta sexta-feira (23).

O Hospital Padre Máximo compõe a rede de hospitais filantrópicos do Espírito Santo e 80% dos atendimentos que realiza são ofertados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Em média, o hospital realiza 3 mil atendimentos por mês pelo SUS, entre atendimentos de urgência e emergência, cirurgias, realização de partos e internações nas áreas de pediatria e clínica médica. Tem, ainda, quatro leitos de internação para pacientes de saúde mental. O Hospital Padre Máximo faz parte da Rede Materno-Infantil e é referência para gestação de risco habitual para os municípios de Venda Nova do Imigrante, Ibatiba, Brejetuba, Conceição do Castelo e Afonso Cláudio. Em 2017, 671 crianças dessas localidades nasceram no hospital, que também é referência para as cidades de Castelo e Domingos Martins, totalizando a cobertura de 180 mil habitantes aproximadamente.

O recurso que será repassado vai complementar a verba que o hospital destinará para a obra, que custará R$ 3.632.365,10. A obra também vai contemplar melhorias na lavanderia; criação de um espaço exclusivo para preparação de dietas enterais.

Será construída também uma nova torre, com escada e elevador plataforma, permitindo o controle de acesso de visitantes à UTI e às demais dependências do hospital de forma mais organizada, liberando a entrada do Pronto-Socorro, hoje sobrecarregada com essa função.

Nesta mesma torre haverá uma sala de espera para visitantes, sanitários adequados a Pessoas com Deficiência (PCD), além de consultórios de apoio e a secretaria da UTI.

Com informações da Secom/ES