Herança Hartung

Politicamente, Paulo Hartung aprendeu muito e aplica esse conhecimento no dia a dia. Popularmente ele tem credibilidade junto à população do Estado, não tanto como antes, mas ainda tem. Na política teve alguns desgastes, o que é natural para quem governa por três mandatos quase seguidos. Mas ainda consegue fazer o seu jogo com todos os partidos. Teve seus professores para tal e tirou 10.

Ultimamente, em seus discursos, tem batido na mesma tecla, de que o ES é um Estado economicamente estável, seguro, e perante a crise do país é realmente um porto seguro. Credito isso a uma administração austera, mas acima de tudo, com visão política.

Paulo Hartung me faz lembrar Jânio Quadros. Após vencer com um estrondoso número de votos para a presidente, ele viu que governar com aliados políticos arruinaria sua administração. Quis governar só, mas foi vencido pelas oligarquias da época. PH administra praticamente sozinho, ele e sua equipe de extrema confiança. Tem políticos no meio, mas leem a cartilha dele.

Outro dia resolvi fazer um levantamento de empresas que procuram o ES para suas operações, sejam comerciais ou industriais. A Home Centers dona da TendTudo e Casa Show; o Grupo Kroton Educacional, especializado em educação Básica; Grupo Mondelez, multinacional americana distribuidora de alimentos; Petrocity Portos S/A, do setor logístico e bancário; a Simec, que faz parte de um dos maiores grupo de produção de aço do mundo… Estados maiores, como São Paulo e Paraná, por exemplo, tiveram apenas 1/3 de investimentos nos últimos três anos. Se o capixaba tiver um real alcance de entendimento do que esses investimentos causam, poderia se orgulhar do seu Estado e ver que, no momento, o ES continua em pleno progresso e que isso repercutirá no futuro, que já está aí. Politicamente, tudo estará em jogo nas eleições de outubro.