Empresa é condenada a indenizar passageira em R$ 23 mil por danos em acidente de ônibus em VV

A justiça condenou uma empresa de ônibus a indenizar uma moradora de Vila Velha em R$ 15 mil por danos morais e em R$ 3 mil por danos estéticos, após o motorista do ônibus em que ela viajava perder o controle do veículo durante uma curva. O acidente causou diversas lesões à passageira.

Além dos danos morais e estéticos, a empresa de turismo responsável pelo ônibus e sua seguradora devem ressarcir a requerente pelos gastos com tratamentos médicos, em R$ 5.128,00. A seguradora deve responder até o limite da apólice contratada.

A passageira disse em depoimento que foi arrastada por mais de noventa metros sobre a pista de rolamento, sofrendo esfoliações e escoriações generalizadas além de lesões corporais graves, de natureza permanente, irreversíveis e antiestéticas.

A requerente afirmou ainda ter sido hospitalizada por 30 dias, passando por várias cirurgias e sendo afetada por sequelas morais e psicológicas.

Em sua defesa, a empresa de turismo argumentou pela inexistência de culpa, sob o argumento de que o motorista do ônibus transitava de modo seguro e dentro da velocidade normal, de acordo com a legislação vigente e absolutamente dentro da velocidade permitida.

A seguradora se manifestou afirmando não existir obrigação de indenizar, pois não teria sido provado que o acidente ocorreu em virtude de conduta ilícita do motorista. Por fim, argumentou, em caso de procedência da ação, pela observação dos limites da apólice contratados pela empresa de turismo.

Segundo o juiz da 5º Vara Cível de Vila Velha, os documentos probatórios anexos aos autos comprovam que a requerente foi vítima do acidente, que lhe acarretou os danos narrados, restando provados os gastos médicos e os danos físicos sofridos, devidamente atestados por laudo pericial.

Direto da redação
Record News / Rede SIM
Com informações do Tribunal de Justiça do ES