Disparo que matou motorista de ônibus foi acidental, conclui Polícia Civil

A Polícia Civil, por meio da  Delegacia de Crimes Contra à Vida de Vila Velha,  concluiu nesta segunda-feira (31) as investigações sobre a morte do motorista de ônibus da Linha 658, que trafegava no bairro Aribiri, Vila Velha.

O motorista José Francisco Xavier Alves, foi morto no dia 22 deste mês, após um disparo de arma de fogo. Um homem pulou a roleta com uma arma na cintura, que disparou e acertou na vítima.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo, a polícia civil analisou as provas obtidas no corpo da vítima, no laudo de balística e no depoimento de cinco testemunhas. Após esse processo a polícia conclui que o disparo que atingiu a vítima ocorreu de forma acidental.

O acusado Adson Sena Purcino, de 19 anos, ao pular a roleta do ônibus,  para não pagar a passagem, deixou cair o revólver calibre 38, que estava na cintura. Ao bater no piso do ônibus, disparou o projétil que perfurou o banco do condutor e atingiu o motorista.

O delegado responsável pelas investigações Ricardo Almeida, revelou que antes de entrar no ônibus, Adson perambulava por um baile funk e pelas ruas portando a arma e, além disso, estava na companhia de adolescentes.

O suspeito foi autuado por homicídio doloso, porte ilegal de arma de fogo e por corrupção de menores. O inquérito foi relatado à Justiça.

Primo do cobrador portava arma que matou motorista de ônibus
Motorista de ônibus morre por disparo de arma e rodoviários fazem paralisação

 

 

Direto da redação
Record News Espírito Santo/Rede Sim Sat
Com informações da Sesp/ES