Caminhoneiro disse que deu carona a médica capixaba desaparecida

Desaparecida desde terça-feira (3), a médica cardiologista Jaqueline Colodetti, 52 anos, teria seguido para o interior da Bahia, viajando cerca de 830 quilômetros. A família da médica informou à polícia que um caminhoneiro fez contato na noite deste domingo (8) dizendo que deu carona a uma mulher com todas as características da médica, no sábado (7), levando-a por 25 quilômetros, na BR-116, da cidade de Planalto até a cidade de Poções (BA). Por conta de detalhes dados pelo caminhoneiro, a família acredita que a informação é verídica.

A médica mora em Campo Grande, Caricacica, tendo desaparecido ao retornar de Domingos Martins para casa. O carro dela foi encontrado fechado em uma estrada próxima à ponte do Rio Jucu, entre Domingos Martins e Viana, com todos os pertences dela. Moradores locais disseram que viram a médica dentro do carro estacionado.

Segundo a família, o caminhoneiro disse coisas sobre a médica que não havia sido divulgado. Além disso, fez descrições que batiam com as dela; que era uma mulher magra, loira, que dizia ter três filhos. Ele também teria contado que ela estava assustada, sem rumo, e que não queria ser reconhecida. A família acha que a médica pode ter tido um “apagão”.

A Polícia Civil informou que a equipe da Delegacia Especializada de Pessoas Desaparecidas segue em diligências e está apurando todas as informações e denúncias que tem recebido. Infomações que colaborem com o trabalho da polícia podem ser feitas por meio do Disque-Denúncia 181.

Direto da Redação
Record News ES / REDE SIM