Cachoeiro: MPES deflagra 2°fase da operação que investiga fraudes no setor de rochas

A Operação Âmbar, que investiga fraudes em transações no mercado de rochas ornamentais, teve sua segunda fase deflagrada nesta quarta-feira (30). Ao todo, foram expedidos pela 4ª Vara Criminal da Justiça Estadual de Cachoeiro de Itapemirim cinco mandados de prisão, dois de condução coercitiva e oito mandados de busca e apreensão.

A segunda fase da operação acontece após quase um ano de investigações, que propiciaram a descoberta de novos falsários que agem no mercado de rochas ornamentais na cidade de Cachoeiro de Itapemirim e outros municípios do sul Estado.

De acordo com os órgãos que conduziram a operação, o esquema de desvio funcionava da seguinte maneira: os suspeitos vendiam notas fiscais falsas para empresários do ramo, a fim de que estes possam acobertar suas transações sem o pagamento dos impostos devidos. Segundo a Receita Estadual, o esquema já teria causado um prejuízo de mais de R$ 300 milhões aos cofres públicos.

A segunda fase da Operação Âmbar teve participação do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Promotoria de Justiça de Cachoeiro de Itapemirim, da Receita Estadual, da Receita Federal e do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES.

Direto da Redação
Record News ES/ Rede SIM