Bola fala sobre saída do Pânico: “Acabou a empolgação”

Marcos Chiesa, o Bola, pediu demissão do Pânico depois de 25 anos de trabalho junto com a trupe. Em conversa com o R7, o humorista explicou o que o motivou a deixar o programa foi a falta de entusiasmo com o projeto.

— Foi a falta de tesão, acho que o ciclo acabou. Acabou a empolgação. E se continuasse assim, não seria legal nem para mim nem para o programa.

Ao retornar das férias nos Estados Unidos, Bola conversou com Emílio Surita, líder do grupo, que entendeu a insatisfação do colega.

— Expliquei tudo para ele. Ele entendeu que para mim não tinha mais jeito, que o Pânico já não fazia mais sentido. Então, era melhor sair do que atrapalhar.

Chiesa entrou para o programa em 1993, seis meses após a estreia do elenco na rádio Jovem Pan. E com Surita, ficou junto por 14 anos em que o grupo marcou presença na televisão. Bola acha que a atração precisa de “sangue novo”.

— Metade da minha vida eu vivi no Pânico. Convivi mais com eles do que com a minha própria família. Acho que o programa tem muito que dar ainda, de repente, abrindo lugar para gente mais nova.

Clique aqui e continue lendo! 

Fonte: R7.com