Até derrota em jogo de videogame vira reclamação no Procon da Serra

Todos os dias, são feitos cerca de 40 atendimentos, em média, no Procon Municipal da Serra. São pessoas que procuram o órgão para reclamar de cobranças indevidas, mau atendimento, falha na prestação de serviços, entre diversos outros motivos. Mas, algumas vezes, os consumidores se confundem sobre a atuação do órgão fazendo surgir reclamações inusitadas, que são ouvidas pelos atendentes do Procon.

Namoro com homem casado em motel, condição que impedia a cliente de se manifestar com mais liberdade no local quanto teve seu acesso negado; derrota em jogos de videogame que seriam provocadas por mau funcionamento do controle; falha no pagamento com cartão de crédito no motel são alguns dos exemplos de reclamações inusitadas que chegaram ao Procon da Serra.

Nesses casos, de acordo com o diretor do Procon da Serra, Sérgio Meneghelli, as reclamações não podem ser registradas e as pessoas são orientadas a procurar os respectivos órgãos competentes, de acordo com cada caso.

“É de competência do Procon quando há relação de consumo. Nosso esforço é para auxiliar a parte mais fraca dessa relação, no caso, o consumidor final”, disse Sérgio.

A prefeitura divulgou alguns exemplos de reclamações registradas. Confira:

Playstation

A reclamação de um consumidor era que de um controle de Playstation que ele havia adquirido supostamente estava apresentando defeito. Segundo ele, ao levar o produto para assistência técnica foi informado que não foram encontrados defeitos. No entanto, o consumidor alegou que estava enfrentando muitas dificuldades ao jogar Jogos de Futebol, pois seu jogador não estava tocando a bola, não estava correndo e chutava fraco. Com isso, sempre perdia as partidas para seus amigos.

Cliente impedida de entrar em motel

A reclamante queria registrar reclamação pois teria sido impedida de entrar em um motel do município. O atendente do PROCON, tentando amenizar a situação, informou que talvez as suítes estivessem todas ocupadas, mas a reclamante argumentou que após negarem sua entrada deixaram entrar outras pessoas. Segundo ela, não a teriam deixado entrar porque todas as vezes ela queria entrar com mais de um parceiro sem pagar adicionais, o que ela discorda, justificando que o terceiro homem, às vezes, é segurança ou motorista de seu parceiro. A reclamante demonstrou indignação ao dizer que ela se sente oprimida, pois não pode se manifestar na recepção do motel já que muitas vezes está acompanhada de homens casados, o que geraria um certo transtorno. Esta consumidora foi orientada a procurar o poder judiciário.

Jogo virtual

O consumidor reclamou que, em um jogo virtual, ele efetuou a compra de aproximadamente 500 diamantes que custaram cerca de R$ 200. Esses diamantes poderiam ser trocados por cavalos, espadas, tribos, soldados, etc. Acontece que outras pessoas estavam hackeando o jogo e adquirindo diamantes sem pagar. Com isso, estavam ficando mais fortes do que ele. O consumidor queria, então, fazer a transferência para outro ambiente no jogo, levando todas as suas armas, cavalos, soldados etc.

Cliente teve que chamar a tia para pagar despesa em motel

O reclamante se dirigiu ao PROCON para registrar reclamação em face da administradora de seu cartão de crédito, pois ao tentar utilizar o cartão em um motel o pagamento não foi autorizado e, por isso, teve que entrar em contato com a sua tia, que se dirigiu ao motel para realizar o pagamento.  Impedido de retornar ao quarto, ele teve que aguardar sentado na calçada da recepção.

Fonte: Com informações da Prefeitura da Serra