Árvores centenárias são derrubadas em desmate ilegal em Conceição da Barra

Uma ação de fiscalização da Polícia Ambiental, realizada na tarde dessa sexta-feira (12) identificou um desmate de grandes proporções no interior da Área de Proteção Ambiental (APA) de Conceição da Barra, Norte do Estado.

Segundo informações da Polícia, uma área de 30 hectares de vegetação nativa foi destruída, o que equivale a cerca de 30 campos de futebol. Um trator foi apreendido. Informações prévias apontam a participação de pelos menos quatro pessoas no crime.

Uma guarnição do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) e fiscais do Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA) chegaram à região após receberem denúncias referentes à venda de lotes dentro da área de restinga, mais precisamente na localidade de Meleiras, em Conceição da Barra.

Por se tratar de área com presença de vegetação nativa, qualquer tipo de intervenção deve ser previamente informada e feita com base em licenciamento. O rigor é ainda maior por se tratar de uma unidade de conservação, já que todo o processo deve ter a anuência do gestor.

Segundo os policiais, os infratores utilizavam algumas táticas para evitar a fiscalização. Eles trabalhavam apenas no interior da mata, evitando realizar cortes e abertura de vias próximas a outras estradas. Parte das ações foi realizada em período noturno, dificultando a visualização da atividade por moradores vizinhos e fiscais. O objetivo dos loteadores era derrubar toda a vegetação do local e depois abrir os acessos às vias principais.

 “A intervenção encontrada foi uma das maiores dos últimos anos. De uma forma bastante agressiva e rápida o desmate destruiu uma extensão natural muito superior ao que é comumente constatado. Os loteadores utilizaram tratores para abrir as estradas e lotes dentro da mata e em seguida juntavam as madeiras em pilhas que eram incendiadas no período noturno” afirma o capitão Scardini, comandante da Companhia de Polícia Militar Ambiental responsável pela região.

A APA de Conceição da Barra é uma importante unidade de conservação do litoral Norte do Espírito Santo. Foi criada em 1998 e tem sua área compreendida do manguezal do da foz Rio São Mateus até o limite sul do município de Conceição da Barra. Por estar em uma área litorânea, sofre grande pressão imobiliária, com isso são frequentes as tentativas de instalação de loteamentos irregulares.

De acordo com os técnicos do IEMA, a restinga é um ecossistema que possui baixo grau de resiliência, ou seja, qualquer dano em sua vegetação leva grande tempo para ser recuperado em razão do solo arenoso e pobre em nutrientes. Considerando o pequeno fragmento que restou da Mata Atlântica no estado, a ocorrência de sexta-feira é extremamente grave. Muitas árvores foram derrubadas. No local foram derrubados espécimes com cerca de 20m de altura, ou seja, plantas centenárias.

As pessoas interessadas em adquirir terrenos em área rural devem verificar toda a documentação antes de fechar qualquer negócio.

 “Alertamos sobre a irregularidade em adquirir lotes dentro da APA de Conceição da Barra. Em razão de ser uma unidade de conservação não é autorizada a implantação de loteamentos na região devido ao elevado impacto que os empreendimentos trariam à fauna e à flora. Caso tenham conhecimento de ofertas de lotes entrem em contato com a Polícia Ambiental de São Mateus (27) 3763-3663. O mesmo vale para outras áreas litorâneas como Guriri e Barra Nova, locais nos quais constantemente são flagrados desmates para fins de parcelamento irregular” finaliza o capitão.

Os autores do crime não foram encontrados, contudo a atividade foi paralisada e um trator foi apreendido e lacrado. O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter o incêndio provocado pelos loteadores para eliminar a vegetação.

Um boletim foi produzido pelos policiais militares além de um relatório por parte dos gestores da APA. Esses documentos serão encaminhados para o Ministério Público e para a Polícia Civil darem continuidade às investigações. Os telefones celulares expostos no local de venda serão investigados para tentar localizar os corretores. Será feita uma busca no cartório de registro de imóveis de Conceição da Barra para se identificar o proprietário do terreno. Ele terá que explicar as intervenções irregulares.

Direto da redação
Record News / Rede Sim
Com informações da Polícia Militar Ambiental