Aplicativo vai dar mais segurança aos ciclistas em Vitória

Com o objetivo de garantir mais segurança para os ciclistas e criar um banco de dados das bikes em Vitória, a Prefeitura de Vitória vai assinar um convênio de cooperação técnica e troca de informações com a empresa responsável pelo aplicativo Bike Registrada, nesta quinta-feira (25). O objetivo é auxiliar a administração municipal na promoção de políticas públicas de segurança para ciclistas.

Com a troca de dados, o município terá informações sobre as pessoas que usam bicicletas, bem como de situações de furto ou roubo delas na cidade. Dessa forma, agentes da Guarda Municipal poderão consultar pelo aplicativo a situação de qualquer bicicleta e, se ela estiver registrada, saber se é roubada ou não, imediatamente. Além disso, esse acesso vai facilitar a devolução aos seus donos.

O presidente da Federação Espírito-Santense de Ciclismo (Fesc), Sandro Oliveira, acredita que, com esse aplicativo, o número de furtos vai cair. “Com um banco de dados para bicicletas, ficará mais fácil divulgar informações sobre bikes roubadas e também encontrá-las e devolvê-las aos seus verdadeiros donos. Isso vai reduzir o interesse de ladrões por esse tipo de objeto e, consequentemente, trará mais segurança para os ciclistas”, declarou Sandro.

Bike Registrada

O aplicativo Bike Registrada funciona como um grande banco de dados de ciclistas e bicicletas. Qualquer pessoa pode registrar gratuitamente sua bicicleta no www.bikeregistrada.com.br. As informações são fornecidas pelos ciclistas e ajudam a evitar o comércio de bicicletas roubadas.

“Percebemos que a maioria das pessoas que compravam bicicletas roubadas fazia sem saber. Com um banco de dados, as pessoas podem consultar se a bicicleta em que estão interessadas é roubada ou não e também podem contribuir informando onde viram a bike com status de roubada”, explica um dos sócios-fundadores do aplicativo, José Rubem Vasconcellos.

A ideia do aplicativo surgiu em 2013, quando um grupo de amigos precisou se dividir e alguns passaram a pedalar sozinhos, o que era considerado perigoso pelo risco de furtos e roubos. Eles perceberam que, diferente dos carros, que precisam ser registrados no Detran, as bicicletas não possuíam nenhum tipo de registro ou nenhum impedimento ao comércio de bikes roubadas.

Assim, surgiu a ideia e criar um banco de dados com informações detalhadas da bicicleta, como número de chassi, marca e até foto