Servidor público de Cachoeiro é denunciado e investigado por pedofilia

O Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) denunciou um servidor público federal de Cachoeiro de Itapemirim por pedofilia, após ele armazenar e compartilhar materialm pornográfico infantil. A denúncia foi aceita pela Justiça no dia 4 de dezembro e o acusado foi afastado do cargo, para não influenciar as investigações

O nome do denunciado não está sendo divulgado porque o processo tramita sob sigilo. Há indícios de que parte dos crimes, inclusive, teriam sido praticados no exercício da função e por meio de equipamentos pertencentes ao órgão em que ele trabalhava.

De acordo com a denúncia do Ministério, o servidor público armazenou 140 arquivos de fotografia e vídeos contendo cenas de sexo explícito e/ou pornográficas envolvendo crianças e adolescentes e disponibilizou e/ou transmitiu 102 arquivos de pedofilia por meio da internet.

Crime

O crime foi descoberto porque o servidor público armazenou uma das imagens, contendo cena de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes, na nuvem do Google Drive, a partir de endereço do órgão em que trabalhava em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado.

O denunciado ainda mantinha um HD externo com diversos arquivos, entre fotografias e vídeos, com o mesmo conteúdo. Em diversas ocasiões, ele disponibilizou pela internet e transmitiu a outras pessoas alguns desses arquivos, por meio de aplicativos específicos.

Além da condenação do servidor público pelos crimes previstos nos Estatuto da Criança e do Adolescente, o Ministério pediu que o denunciado seja suspenso de sua função pública, o que já foi acatado pela Justiça Federal.

Com informações do MPF/ES