Homem não respeita medida restritiva e mulher aciona botão do pânico em Vitória

Agentes de proteção comunitária da Guarda Civil Municipal de Vitória atenderam, nesta sexta-feira (19), ao primeiro chamado de emergência do Botão do Pânico neste ano. O acionamento foi realizado por uma mulher de 38 anos em Jardim Camburi.

O chamado de emergência foi realizado às 17h49, e os agentes chegaram ao local em 6 minutos. No local, encontraram o homem – ex-marido da vítima – no portão do prédio. No mesmo instante, policiais militares também chegaram ao edifício, mas foram acionados pelo homem, que reclamou do direito de guarda dos filhos.

No entanto, como possui medida restritiva e não pode se aproximar da residência da vítima, ele foi detido pela Guarda e encaminhado ao plantão da Delegacia da Mulher, na Ilha de Santa Maria.

Como funciona

O acionamento do Botão do Pânico, criado em 2013, é realizado diretamente para a Guarda Civil Municipal. Com o aparelho, as mulheres com medidas protetivas podem acionar o dispositivo toda vez que se sentirem ameaçadas pelo agressor.

Para evitar o toque acidental, a mulher deverá segurar o equipamento por três segundos até que o Botão do Pânico possa ser disparado para a Central de Videomonitoramento da Guarda 24 horas para receber as coordenadas do local onde o dispositivo foi acionado – por meio de GPS – e, prontamente, enviar a Patrulha Maria da Penha para realizar atendimento à vítima.

Além de receber a localização exata do dispositivo, enviada pelo GPS, a Central de Videomonitoramento iniciará a gravação do áudio ambiente, que será armazenado em um banco de dados à disposição da Justiça. Toda a conversa poderá ser utilizada como prova judicial contra o agressor.

O projeto foi implantado a partir de parceria com o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) e o Instituto Nacional de Tecnologia Preventiva (INTP).

Com informações da Prefeitura de Vitória